CONTROLE DE CONTAMINANTES BACTERIANOS NA FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA COM A APLICAÇÃO DE BIOCIDAS NATURAIS

Autores

  • Alessandra Carolina Gonçalves Caetano Tecnóloga em Biocombustíveis pela Faculdade de Tecnologia de Jaboticabal (FATEC).
  • Leonardo Lucas Madaleno Engenheiro Agrônomo. Doutor em Agronomia pela Universidade Estadual Paulista (Jaboticabal-SP). Docente da Faculdade de Tecnologia de Jaboticabal (FATEC).

Palavras-chave:

lúpulo, própolis, pomelo, antibióticos

Resumo

A contaminação bacteriana na fermentação alcoólica é um fator importante a ser considerado, pois pode ocorrer transformação das matérias-primas fermentáveis em substâncias outras que não o produto desejado. Isso provoca perdas irreparáveis no rendimento da fermentação. Muitos antimicrobianos são utilizados para controle desses microrganismos contaminantes; dentre estes se destacam os antibióticos que geram resíduos e causam resistência microbiana. Por isso, tem se tornado cada vez mais frequente o uso de antimicrobianos naturais que não causam resistência de bactérias e não deixam resíduos. O lúpulo, um antimicrobiano natural, já está em uso, e outros produtos com atividade antimicrobiana, como a própolis, o pomelo e o jambolão, podem ser mais estudados para essa finalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALCARDE, A.R.; HORII, J.; NOBREI, T.P. Viabilidade celular de Saccharomyces

cerevisiae cultivada em associação com bactérias contaminantes da fermentação alcoólica.

Ciência e Tecnologia dos Alimentos, Campinas, v. 27, n.1, p. 20-25, jan./mar. 2007.

ANDRIETTA, M. G. S.; STECKELBERG, C.; ANDRIETTA, S. R. Bioetanol: Brasil, 30

anos na vanguarda. In: MULTICIÊNCIA: CONSTRUINDO A HISTÓRIA DOS

PRODUTOS NATURAIS, 2006, Campinas. Anais... Campinas: UNICAMP, 2006. p.1-16.

BREGAGNOLI, F.C.R. Comportamento fisiológico de microrganismos submetidos a

biocidas convencional e natural na produção de cachaça orgânica. 2006. 80 f. Tese

(Doutorado) – Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista

“Julio de Mesquita Filho”, Jaboticabal, 2006.

CHERUBIN, R. A. Efeitos da viabilidade da levedura e da contaminação bacteriana na

fermentação alcoólica. 2003. 137 f. Tese (Doutorado) – Escola Superior de Agricultura

“Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2003.

CONTROLE natural. 2009. Disponível em: < www.energiamundo.com.br> Acesso em: 15

out. 2010.

CVETNIC, Z.; KNEZEVIC, S. Antimicrobial activity of grapefruit seed and pulp ethanolic

extract. Acta Pharm, v. 54, p. 243–250, 2004.

EGUCHI, J.Y. Ativos antimicrobianos utilizados na indústria. Revista Sociedade Brasileira

de Controle de Contaminação, São Paulo, n.22, p.35-39, 2007. Disponível em:

<http://www.sbcc.com.br/sumario_22.htm>. Acesso em: 15 nov. 2010

FERNANDES JÚNIOR, A.; LOPES, M.M.R.; COLOMBARI, V.; MONTEIRO, A.C.M.;

VIEIRA, E.P. Atividade antimicrobiana de própolis de Apis Mellifera obtidas em três regiões

do Brasil. Ciência Rural, Santa Maria, v.36, n.1, p.294-297, jan./fev. 2006.

LIMA, U.A. Biotecnologia industrial : processos fermentativos e enzimáticos. São Paulo:

Blucher, 2001. cap. 1, p. 1-40, v.3.

LOGUERCIO, A.P.; BATTISTIN, A.; VARGAS, A.C.; HENZEL, A.; WITT, N.M.

Atividade antibacteriana de extrato hidro-alcoólico de folhas de jambolão Syzygium cumini

(L.) Skells). Ciência Rural, Santa Maria, v.35, n.2, p.371-376, mar.abr. 2005.

MUTTON, M. J. R. Reflexos da qualidade da matéria-prima sobre a fermentação etanólica.

In: WORKSHOP SOBRE “PRODUÇÃO DE ETANOL: QUALIDADE DE MATÉRIAPRIMA”,

Lorena. Anais… Lorena, 2008. p.9-10. Disponível em:

http://www.apta.sp.gov.br/cana/anexos/position_paper_painel2_marcia.pdf>. Acesso em: 07

nov. 2010

NOGUEIRA, M. O que é lúpulo. Revista Superinteressante. n.197, fev. 2004. Disponível

em: <http://super.abril.com.br/superarquivo/2004/conteudo_313532.shtml> Acesso em: 11

out. 2010.

OLIVEIRA, M.A.S.; Avaliação do poder biocida de beta-ácidos do lúpulo como

controladores da contaminação na fermentação alcoólica. Lorena: Escola de Engenharia

de Lorena/ USP, [s.d]. Disponível em:

<http://www.usp.br/siicusp/Resumos/15Siicusp/3993.pdf>. Acesso em: 15 nov. 2010.

SILVA, P.H.A.; FARIA, F.C. Avaliação da intensidade de amargor e do seu princípio ativo

em cervejas de diferentes características e marcas comerciais. Ciênc. Tecnol. Aliment.,

Campinas, v.28 n.4, p. 902-906, out./dez. 2008.

TAKEOKA, G.; DAO, L.; WONG, R.Y.; LUNDIN, R.; MAHONEY, N. Identification of

Benzethonium Chloride in Commercial Grapefruit Seed Extracts. J. Agric. Food Chem.,

n.49, p. 3316-3320, 2001.

TAUBE, J.S. O negócio é ser natural. Revista Canamix, Ribeirão Preto, 2009. Disponível

em: <http://www.canamix.com.br/revistas>. Acesso em: 20 dez. 2009.

VARGAS, A.C.; LOGUERCIO, A.P.; WITT, N.M.; COSTA, M.M.; SILVA, M.S.; VIANA,

L.R. Atividade antimicrobiana “in vitro” de extrato alcoólico de própolis. Ciência Rural,

Santa Maria, v.34, n.1, p.159-163, jan./fev. 2004.

VENTURA, R. Potenciais contaminantes em levedura extraída de fermentação alcoólica,

[s.d.] Disponível em: <http://www.quimicareal.com.br/upload/palestra_ventura.pdf>. Acesso

em: 25 out. 2009.

VENTURINI FILHO, W. G.; MENDES, B. P. Fermentação alcoólica de raízes tropicais. In:

VILA NOVA, M.X. Análise das leveduras do mosto da fermentação alcoólica de

alambiques artesanais produtores de cachaça em Pernambuco. Recife: Universidade

Federal de Pernambuco, 2008.

Publicado

30/06/2011

Como Citar

CAETANO, A. C. G.; MADALENO, L. L. CONTROLE DE CONTAMINANTES BACTERIANOS NA FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA COM A APLICAÇÃO DE BIOCIDAS NATURAIS. Ciência & Tecnologia, [S. l.], v. 2, n. 1, 2011. Disponível em: https://citec.fatecjab.edu.br/index.php/citec/article/view/63. Acesso em: 31 jul. 2021.

Edição

Seção

Agronomia e Enga. Agrícola e Meio Ambiente e Agrárias