OPACIDADE DA FUMAÇA DE UM TRATOR AGRÍCOLA FUNCIONANDO COM TRÊS FONTES DE BIODIESEL COMO COMBUSTÍVEL

Autores

  • Leomar Paulo de Lima Licenciado em Ciências Agrárias (Doutor em Agronomia), IFTM, Campus Uberlândia-MG.
  • Carlos Alberto Alves de Oliveira Professor (Doutor em Eng. Agrícola), IFTM, Campus Uberlândia-MG.
  • Priscila dos Santos Pereira Aluna (Curso de Eng. Agronômica), IFTM, Campus Uberlândia-MG.
  • Fabrício Justino da Silva Aluno (Curso de Eng. Agronômica), IFTM, Campus Uberlândia-MG.

Palavras-chave:

Ensaio de tratores, Biocombustíveis, Emissões

Resumo

O biodiesel pode ser obtido a partir de óleos vegetais, gorduras animais ou óleos residuais por meio de reação com etanol ou metanol e destaca-se entre as fontes renováveis de energia apontadas como solução para aumentar a segurança no suprimento de energia e minimizar alguns problemas ambientais decorrentes do uso de combustíveis derivados de petróleo. Em crescente uso, faz-se necessário ampliar as matérias primas disponíveis em várias regiões e estudar o efeito destas novas fontes na maquinaria agrícola. O objetivo do trabalho foi comparar a opacidade da fumaça (NBR13037/2001) em um trator agrícola funcionando com biodiesel de soja, murumuru, tucumã e suas proporções no diesel de petróleo, sendo B0, B5, B25, B50, B75 e B100, em que o número indica o percentual de biodiesel no diesel. O experimento foi realizado no Laboratório de Máquinas e Mecanização Agrícola da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias – FCAV/UNESP, Jaboticabal, SP. O biodiesel de tucumã apresentou menor opacidade da fumaça seguido do murumuru e soja, sendo 53,98%, 53,54% e 26,11%, respectivamente, quando comparado diesel (B0) com biodiesel (B100).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 13037: Veículos rodoviários automotores – Gás de escapamento emitido por motor em aceleração livre – Determinação da opacidade. Rio de Janeiro: 2001.

ANP - Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. Resolução n.42 de 16 de dezembro.de..2009...Disponível..em:. <http://nxt.anp.gov.br/nxt/getway.dll/leg/

resolucoes_anp/2009/dezembro/ranp%2042%20-%202009.xml#art16>. Acesso em 12 de fev.2012

BANZATTO, D.A.; KRONKA, S.N. Experimentação agrícola. 4ª ed. Jaboticabal: FUNEP, 2006. 237p.

BASHA, S.A., GOPAL, K.R., JEBARAJ, S. A review on biodiesel production, combustion, emissions and performance. Renewable and Sustainable Energy Reviews, v.13, p.1628–1634. 2009.

BRAUN, S; APPEL, L. G ; SCHMAL, M. A poluição gerada por máquinas de combustão interna movidas à diesel – A questão dos particulados. Estratégias atuais para a redução e controle das emissões e tendências futuras. Química Nova, v. 27, n. 3, p. 472-482, 2003.

DABDOUB, M.J.; BRONZEL, J.L. RAPIN, M.A. Biodiesel: visão crítica do status atual e perspectivas na academia e na indústria. Química Nova, São Paulo, v.32, n.3, p.776-792, abril. 2009.

EPE - Empresa de Pesquisas Energéticas do Ministério de Minas e Energia. Balanço.Energético..Nacional..2014...Disponível..em:.bb<http://ben.epe.gov.br/BENRelatorio

Final2014.aspx>. Acesso em 14 out. 2014.

FARIA, D. I.; PEIXOTO, M.; MORAIS, P.; DE SOUZA, R. B. L. A Utilização de óleo Vegetal Refinado como Combustível- Aspectos Legais, Técnicos, Econômicos, Ambientais e Tributários. Centro de Estudos da Consultoria do Senado, 2010 – Discussão n° 73.

Ciência & Tecnologia: FATEC-JB, Jaboticabal (SP), v. 7, n. 1, p. 39-46, 2015. (ISSN 2178-9436).

LAM, M.K., TAN, K.T., LEE, K.T., MOHAMED, A.R. Malaysian palm oil: surviving the food versus fuel dispute for a sustainable future. Renew. Sustain. Energy, v.13, p.1456–1464. 2009.

LIMA, L. P.; LOPES, A.; OLIVEIRA, M.C.J.; NEVES, M.C.T.; KOIKE, G.H.A. Comparativo entre biodiesel de dendê e tucumã no desempenho operacional de trator agrícola. Engenharia na Agricultura, Viçosa, MG, v. 20, n. 3, 2012, p. 234-243.

LOPES, A.; SENÔ, M.A.A.F.; CAMARA, F.T.; FURLANI, C.E.A.; SILVA, R.P.; CORTEZ, J.W. Biodiesel no Brasil: aspectos gerais e síntese da legislação. Atualidades Jurídicas, v.1, p.1-19, 2008.

NEVES, M.C.T.; LOPES, A.; LIMA, L.P.; OLIVEIRA, M.C.J.; KOIKE, G.H.A. Desempenho do trator agrícola em função do tipo de biodiesel (soja x murumuru). Engenharia na agricultura, Viçosa, v. 21 n. 4, p. 351-360, 2013.

PERES, S.; SCHULER, A.; ALMEIDA, C.H.T.; SOARES, M.B.; CAMPOS, R.; LUCENA, A. Caracterização e Determinação do Poder Calorífico e do Número de Cetano de Vários Tipos de Biodiesel Através da Cromatografia In: CONGRESSO DA REDE BRASILEIRA DE TECNOLOGIA DE BIODIESEL, 2., 2007, Brasília. Anais... Brasília: SETEC/MCT/ABIPTI, 2007. 1 CD-ROM.

TABILE, R.; LOPES, A.; DABDOUB, M. J.; CAMARA, F. T.; FURLANI, C. E. A.; SILVA, R. P. Biodiesel de mamona no diesel interior e metropolitano em trator agrícola. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v. 29, n. 3, Sept. 2009.

TECNOMOTOR, Tecnomotor Eletrônica do Brasil Ltda., OPACER TM 133 Opacímetro de amostragem. Manual de Operação. São Carlos, 2012. Ed. 07/01, 26p

UNESP - UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA “JULIO DE MESQUITA FILHO” – CÂMPUS DE JABOTICABAL. Departamento de Ciências Exatas: Estação meteorológica – Dados normais..2011...Disponível..em:.. <http://www.exatas.fcav.unesp.br/estacao/est_tab_

meteor_01_02.htm>. Acesso em 12 dez. de 2011.

Publicado

20/12/2015

Como Citar

DE LIMA, L. P.; DE OLIVEIRA, C. A. A.; PEREIRA, P. dos S.; DA SILVA, F. J. OPACIDADE DA FUMAÇA DE UM TRATOR AGRÍCOLA FUNCIONANDO COM TRÊS FONTES DE BIODIESEL COMO COMBUSTÍVEL. Ciência & Tecnologia, [S. l.], v. 7, n. 1, 2015. Disponível em: https://citec.fatecjab.edu.br/index.php/citec/article/view/37. Acesso em: 31 jul. 2021.

Edição

Seção

Agronomia e Enga. Agrícola e Meio Ambiente e Agrárias